LGPD: Dicas para implementar no marketing da sua empresa

LGPD: Dicas para implementar no marketing da sua empresa

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) estabelece regras sobre a proteção de dados e segurança. Ela foi promulgada em 2018 e criada para controlar e dar transparência ao uso de dados pessoais. Assim, ela impacta as atividades das empresas públicas e privadas que operam no Brasil que coletam qualquer tipo de informação.

Mas como implementar a LGPD no marketing da empresa? Siga com a leitura do nosso artigo!

 

Por que adequar a LGPD na estratégia de marketing digital?

A LGPD causa impacto nas estratégias de marketing e assegura às pessoas físicas, jurídicas, empresas públicas ou privadas e outros profissionais a receberem a remuneração por meio de uma inscrição. Ela também transmite confiança para os clientes, pois sabem que estarão em um ambiente seguro para fornecer os dados.

 

O que acontece quando não se cumpre a lei?

Quando a lei não é cumprida, a empresa pode ter problemas administrativos, entre eles estão a eliminação de dados coletados relacionados à infração e medidas corretivas. Também pode sofrer com bloqueios de contas, além de suspensão parcial da atividade do banco de dados. Há, ainda, proibição total ou parcial da atividade e multa.

 

Como a LGPD impacta as empresas?

Você que administra site, blog ou as redes sociais da empresa sabe bem o que acontece com uma estratégia de marketing bem estruturada. Ela gera resultados, certo? Assim, você terá acesso às informações dos usuários para desenvolver uma comunicação mais otimizada e efetiva.

No entanto, com a LGPD, você só poderá colher esses dados se o visitante autorizar. Além disso, a empresa que coletar os dados será a responsável pelo gerenciamento dos mesmos e por cumprir a Lei de Proteção de Dados. Mas o que é necessário para que o site se encaixe na lei: 

  • o uso de cookies;
  • ter uma página de contatos;
  • possuir uma página de política de privacidade;
  • construir formulários de inscrição como landing page e newsletter;
  • oferecer segurança no site;
  • garantir medidas contra a violação de dados;
  • Ter um e-mail marketing.

 

Como implementar a LGPD no marketing da empresa?

Veja agora o que fazer para que a empresa cumpra com a LGPD:

 

Quanto ao uso de cookies

Cookies são arquivos que capturam os dados dos usuários. Eles acessam comportamentos e preferências de quem chega até o site. Entretanto, para que você possa tê-los, o usuário terá que autorizar a coleta de informações por meio dessa ferramenta. 

 

Em relação às políticas de privacidade

Quem não tem políticas de privacidade no site precisará criá-las de acordo com as exigências da lei. E deverão ser compostas por:

  • dados do usuário que serão utilizados e coletados;
  • informações da empresa;
  • finalidade da captação desses dados;
  • quem será o responsável caso ocorra vazamento de dados;
  • quais as medidas de prevenção serão tomadas para garantir a segurança das informações e evitar acidentes;
  • explicações sobre os cookies;
  • canais para o atendimento do usuário;
  • informações sobre o cancelamento de uso de dados;
  • garantia de como o usuário acessa os dados se precisar.

Já os sites com política de privacidade deverão ser revisados e adequados para a LGPD.

 

Os formulários de inscrição

O e-mail marketing e as ferramentas que compartilham conteúdo a assinantes trazem um excelente retorno para as empresas. Com várias ações, você cria um banco de dados e utiliza uma landing page ou qualquer outro meio para a captação de clientes. 

Entretanto, para usar essa estratégia, você deverá:

  • garantir o consentimento das pessoas;
  • deixar os campos de coleta de dados preenchidos de forma automática;
  • explicar a finalidade do formulário.

A página de contatos

Nesta página, você terá que deixar clara a finalidade das informações. O visitante também deverá conhecer os seus direitos e como ele poderá acessar, alterar o uso dos dados ou desabilitar.

 

Quanto a segurança do site

O site poderá ter um certificado de segurança para que o usuário saiba que os dados fornecidos serão protegidos. Essa prática não é obrigatória, mas preserva as informações de quem acessa a página da empresa.

 

Quanto às condições que impedem a violação de dados

A empresa é quem assegura a proteção das informações de quem chega à página de contato ou navega em outras páginas do site. Por isso, você deve realizar procedimentos para impedir que os dados dos usuários sejam violados. Para isso, reveja medidas que garantem a confidencialidade dos usuários.

Agora que você aprendeu um pouco sobre a LGPD, poderá adequar-se à nova lei, não é mesmo? Para isso, contrate especialistas que darão um suporte para o seu time!

Gostou do conteúdo? Acesse o nosso blog e confira outros conteúdos como esse!

[e-book] As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Baixar grátis | Agência Labra

Tendências de mercado para a indústria alimentícia para 2021

Tendências de mercado para a indústria alimentícia para 2021

Nos últimos anos, a mudança nos hábitos alimentares dos consumidores causou alterações na indústria de alimentos. Além de consumirem mais produtos orgânicos e saudáveis, com a pandemia provocada pelo novo coronavírus, as pessoas passaram a comprar mais itens online. 

 

Consumidores virtuais

Uma das tendências de mercado para a indústria alimentícia são mais consumidores virtuais. Desde 2019, essa tendência se confirmou com a pandemia da Covid. 

Quem investiu em delivery e se preocupou com o marketing digital saiu na frente e está conseguindo superar a crise. Assim, a jornada do cliente passou a ser cada vez mais virtual. 

Portanto, a demanda por compras virtuais deve permanecer com o fim do coronavírus. Isso quer dizer que as indústrias devem pensar em construir uma presença digital para serem sempre lembradas pelo consumidor.

 

Alimentos saudáveis 

A busca por alimentos saudáveis é mais uma das tendências de mercado para a indústria alimentícia. Com a pandemia, o consumidor ficou mais atento à saúde. 

Portanto, a expectativa é que pelo menos uma parte da população mantenha o hábito de consumir alimentos saudáveis. 

 

Embalagens inovadoras 

As embalagens inovadoras também fazem parte das tendências de mercado para a indústria alimentícia. É cada vez mais nítida a preocupação com a proteção dos produtos. 

As embalagens do varejo alimentício terão novos formatos com dispositivos que ajudam a diferenciar das embalagens falsificadas e que garantem a proteção dos alimentos. 

As empresas poderão optar por um novo design e reduzir custos com essa mudança. Com isso, as embalagens mais flexíveis serão uma boa opção. 

 

Preocupação com a sustentabilidade 

A preocupação com a sustentabilidade fará ainda mais parte das tendências de mercado para a indústria alimentícia. Desta forma, quem não se preocupar em ser mais “verde”, estará na contramão da modernidade e as chances de continuar no mercado diminuíram. 

Afinal, as novas gerações têm ganhado poder de compra e consideram consumir produtos de indústrias que sejam sustentáveis. Portanto, a empresa deverá incorporar o conceito de sustentabilidade desde a embalagem ao produto final.

 

Processos automatizados 

Garantir um processo automatizado, também garante a higiene, a qual é uma grande preocupação desde 2019. Portanto, é mais que pensar na agilidade, é avaliar a menor margem de erros e padronização da produção.

A adoção dos processos produtivos automatizados reduz a possibilidade de contaminação. Outra vantagem, é que se organiza melhor o chão de fábrica.

Além disso, no rol dos benefícios, você conquista a projeção da imagem da indústria moderna e ganha vantagem competitiva em relação aos concorrentes. 

 

Coquetéis em lata 

Em 2020, mais bebidas chegaram às latas e se tornaram mais portáteis, recicláveis e práticas. Um exemplo disso foi o gin. Sem contar que também há mais café e chá enlatados. 

No entanto, há uma expectativa de aumento de coquetéis em lata, como alternativa de substituir os bares fechados na pandemia. 

 

Comida para dormir 

Isso mesmo. O isolamento social provocou um impacto emocional nas famílias. Segundo uma pesquisa realizada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 80% da população brasileira tornou-se mais ansiosa na pandemia desde o ano passado.

Portanto, investir em comida para dormir, ou seja, que auxilia no sono, fará com que as pessoas procurem por novos insumos naturais nutritivos. 

Os consumidores esperam alimentos que promovam o relaxamento e colaboram para um sono mais tranquilo.

 

Facilidade para pagar as contas

Uma empresa mais digital. Essa é outra das principais tendências de mercado para a indústria alimentícia. 

Hoje, os consumidores não querem sair para pagar as contas. No próprio site da empresa ou com a facilidade de pagar um boleto no cartão de crédito, ou pelo código de barras, o cliente resolve todos os problemas de casa. 

Como você pode ver, há várias tendências de mercado para a indústria alimentícia para 2021. Agora que você já sabe, que tal adotar algumas delas em sua empresa? 

Gostou do conteúdo? Leia o nosso próximo post sobre os principais canais de marketing digital para a indústria!

Conheça o case de sucesso da Haco, cliente da Agência Labra | Agência Labra

Expectativas para indústria têxtil pós-pandemia!

Expectativas para indústria têxtil pós-pandemia!

A pandemia da Covid-19 mudou a realidade das empresas em 2020. Muitas tiveram que se readaptar, inclusive a indústria têxtil. No entanto, segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a indústria têxtil foi um dos setores que mais reagiram rapidamente à crise, pois ela se reinventou e acelerou algumas mudanças estruturais, principalmente em relação a transformação digital e a inovação do mercado.

Uma das novidades foi o aumento do escopo com o desenvolvimento de têxteis antivirais e inteligentes. Segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), em 2021, as expectativas são positivas para o setor. Veja:

O que a indústria têxtil pode esperar em 2021?

Sem dúvida, o mercado da moda deverá apresentar um crescimento produtivo. Segundo a Abit, a expectativa é de que ele cresça 8,1%. As vendas internas serão de 6,8% e as importações 5,2%. Já as exportações 6,25%.

Entretanto, espera-se que no próximo ano a oferta seja superada pela demanda. Além disso, consumidores dos grupos B e C1 serão os responsáveis pela recuperação da indústria têxtil no pós-coronavírus e pelo otimismo nas perspectivas do mesmo setor.

Também há expectativa quanto a geração de empregos. Este ano, mais de 70 mil pessoas perderam os seus postos de trabalho. Para 2021, espera-se que a indústria têxtil possa gerar 17 mil novos empregos. No entanto, a indústria também terá com que se preocupar com:

Modernização do varejo

O conceito de Indústria 4.0 atingirá o varejo. Será necessária uma tecnologia que agilize as informações do público e adapte às novas formas de se vender e consumir. Por isso, mais do que nunca, os gerentes deverão se preocupar em trabalhar o marketing digital da indústria têxtil.

Assim, é necessário contar com uma empresa que cuide das estratégias de Marketing Digital, para se aproximar dos clientes. A indústria têxtil também deverá oferecer Wi-Fi gratuito, contar com aplicativos de geolocalização e instalar sensores de calor que identificam uma maior circulação das pessoas.

Valorização do meio ambiente

A pós pandemia exigiu mais atenção da sociedade em relação ao meio ambiente. No mercado têxtil, isso não é diferente. Para 2021, a tendência é evitar o desperdício dos recursos naturais. Portanto, a reciclagem tornou-se uma das maiores tendências.

Consumo consciente

Outra expectativa é que, cada vez mais, as pessoas terão um consumo consciente. Aos poucos, o desperdício não será mais aceito. Por isso, a indústria têxtil que tiver alinhada com esse pensamento, terá maior credibilidade entre seus compradores.

Presença digital

O e-commerce ganhou força na pandemia, pois, segundo um levantamento realizado pelo NZN Intelligence, 71% dos brasileiros aumentaram as compras online, e essa também será uma realidade pós-Covid. Portanto, o e-commerce estará em alta e oferecer agilidade, cupons de desconto, comodidade e facilidades no pagamento para os clientes será imprescindível 

Personalização dos produtos

O novo consumidor, inclusive o da indústria têxtil, espera encontrar um produto personalizado, exclusivo. Isso quer dizer repensar o posicionamento da marca no mercado. Ao invés de focar na produção de peças idênticas, é preciso apostar em peças únicas.

Quais são os maiores desafios para 2021?

Atualmente, há no Brasil 25,2 mil empresas formais voltadas ao setor têxtil. O país é considerado o maior representante da indústria têxtil no ocidente, pois se destaca na plantação de algodão, produção de fibras, desfile de moda, tecelagens, entre outros tipos de confecção.

Entretanto, em 2021, haverá grandes desafios que a indústria têxtil terá que superar. Veja:

Problemas com a variedade de produtos

Ainda hoje, a indústria têxtil está focada em produtos mais comuns. Isso dificulta o surgimento de novos segmentos a partir do que é produzido no país. Quem trabalha com moda conhece bem a dificuldade de investir no ramo, pois a matéria prima da indústria têxtil é cara e o produto final tem valor elevado para o cliente.

Falta de matéria prima

Cerca de 90% do algodão que é produzido no Brasil, hoje, é exportado para outros países. Além disso, o que não exportado é utilizado na fabricação de máscaras protetoras para combater a Covid-19. A falta de matéria prima é algo que precisa ser superado pelas indústrias do mercado nacional.

Dificuldade de modernização

Apesar da indústria têxtil ter se adaptado durante a pandemia do novo coronavírus, o impacto no setor tem sido grande. Mesmo com os recursos digitais e os avanços nas produções de roupas, ainda há uma necessidade de modernizar os pequenos empreendedores.

É que muitas vezes, a montagem das peças é feita a mão, por setores primários com pouca estrutura.

Como você viu neste post, há grandes expectativas da indústria têxtil pós-pandemia. No entanto, para que a empresa consiga enfrentar os desafios do próximo ano, pense em inseri-la no mundo digital. Só desta forma, você será lembrado pelos brasileiros!

Para ler mais conteúdos como este, continue com a gente aqui em nosso blog!

[e-book] As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Baixar grátis | Agência Labra

Como organizar o processo comercial da sua indústria?

Como organizar o processo comercial da sua indústria?

Assim como qualquer empresa, uma indústria também precisa organizar o seu processo comercial, desde a escolha e montagem de uma equipe de marketing e vendas, até a definição de suas melhores ações e estratégias competitivas no mercado.

Para isso, o conceito de Marketing Industrial, ou seja, de implementação de estratégias de marketing focadas exclusivamente nas necessidades e especificidades do setor de indústrias, tem se tornado um dos principais pilares de diferenciação e de sucesso no processo comercial dessas empresas.

Mas afinal, por onde começar e quais passos seguir para que a sua indústria se torne uma referência de marketing e vendas em sua área de atuação? É justamente sobre isso, que abordaremos ao longo do nosso artigo. Vamos conferir as dicas?

Quais os principais passos para um processo comercial de sucesso na indústria?

Em geral, um processo comercial básico se inicia na fase de prospecção e finaliza no pós-venda. No entanto, em tempos de alta competitividade e do advento de ferramentas e de novas metodologias, podemos dizer que essa “etapa final”, ou seja, o pós-vendas, não é bem mais um ponto de conclusão da negociação empresa x cliente.

Em outras palavras, queremos dizer que até pouco tempo, uma estratégia de pós-venda se limitava a conferir a satisfação do cliente após uma compra. Hoje, ela vai além disso e tem uma função de aproximação, fidelização e reconhecimento.

[e-book] As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Baixar grátis | Agência Labra

Sendo assim, o processo comercial de sua indústria precisa ser algo contínuo, cíclico e frequente, não se baseando apenas em um início e um fim determinado a cada negociação. Com isso, o papel do Marketing Industrial se torna algo imprescindível nesse horizonte.

Para entender melhor, destacamos alguns dos passos indispensáveis na construção de um processo comercial na indústria e estratégias que podem ser utilizadas nesse cronograma. Confira!

1. Prospecção

Como a sua indústria capta seus clientes hoje? Certamente, você dirá que muitos deles procuram a sua empresa de forma voluntária, buscando informações e soluções que precisam, correto?

   Processo comercial — Prospecção

De fato, atualmente, o Google e outras ferramentas de buscas online se tornaram a principal fonte de procuras por serviços e produtos no mercado nos últimos anos e isso otimizou esse processo de prospecção e captação de novos clientes na indústria.

Porém, diferente do que muitos gestores imaginam, isso não se limita apenas a estar presente na internet ou simplesmente ter um site informativo. Hoje, a presença online de sua indústria precisa ser atraente, prática, otimizada e, claro, oferecer soluções diretas e úteis para o consumidor. Será que suas páginas realmente cumprem esse papel?

2. Qualificação

Outra etapa indispensável no processo comercial da indústria é a qualificação de seu público. Em outras palavras, é entender quem é seu cliente, quais as suas dores e como sua empresa pode oferecer soluções viáveis e úteis a ele.

Processo comercial — Qualificação

Em tempos atrás, essa etapa seria aprimorada aos poucos por meio de entrevistas, pesquisas de mercado, entre outras metodologias obsoletas e um tanto quanto limitadas em termos de proporção.

Afinal, hoje, com o advento do marketing industrial e de ferramentas tecnológicas para análises de dados, é possível traçar um perfil muito mais amplo e real de quem é o seu público qualificado, como ele age, qual a sua faixa etária, seus hábitos, seu poder de compra, seus desejos, etc.

3. Apresentação

Essa etapa do processo comercial de uma indústria também depende, basicamente, de estratégias de como a sua empresa se apresenta no mercado e quais soluções ela tem a oferecer.

Processo comercial — Apresentação

A diferença hoje é que tal processo ganha mais visibilidade e flexibilidade com ações de Marketing Industrial.

Ou seja, aquele antigo cartão de visita, agora, dá espaço a um site completo e informativo de sua empresa. Aquela enorme e custosa central de atendimento, hoje, se reduz a um chatbox online, dinâmico e prático. As dúvidas sobre produtos e serviços não dependem mais, necessariamente, da ação de vendedores ativos, mas podem ser sanadas por meio de conteúdos inteligentes e completos para o cliente.

Enfim, a apresentação de sua indústria perante o mercado mantém o mesmo papel estratégico de sempre. Porém, os meios e formas para isso é que se tornaram diferentes!

4. Convencimento

Como bem destacamos, as vendas de sua indústria não dependem mais, necessariamente, da atuação de seus vendedores, pelo menos, não na etapa de convencimento.

Processo comercial — Conhecimento

Isso porque, dentro de um processo comercial baseado em estratégias e ações efetivas de Marketing Industrial, a tendência é de que seus clientes “avancem” essa etapa por conta própria.

Ou seja, o consumidor já chega à sua empresa, se não convencido, muito mais focado e interessado nas soluções propostas em seu site, em sua comunicação, em seus conteúdos e em suas ações.

Na prática, o novo papel de sua equipe de vendas será, basicamente, fechar o negócio, enquanto o Marketing Industrial realiza, por si só, as etapas anteriores, entre elas a de convencimento do cliente.

5. Pós-vendas

Como destacamos, até pouco tempo, o pós-venda era uma espécie de “ponto final” no processo comercial das empresas. Na prática, essa etapa se caracterizava no contato com o cliente após a finalização de uma compra, basicamente para entender a satisfação dele e aprimorar as próximas vendas.

Processo comercial — Pós-vendas

Evidentemente, que essa prática ainda é válida e fundamental para as indústrias. Porém, o Marketing Industrial permitiu tornar o pós-venda, um ciclo constante e sem fim.

Além desse papel analítico e de dar mais qualidade ao atendimento depois da compra, hoje, o pós-vendas passa a ser fator essencial de fidelização, de incentivo para novas vendas, de fortalecimento da marca, de tornar sua indústria uma referência na área, etc.

Enfim, o processo comercial de sua indústria talvez não seja, necessariamente, uma novidade para o negócio. No entanto, os meios e formas para a sua implantação é que se transformaram nos últimos anos e, indiscutivelmente, o Marketing Industrial é o principal pilar dessa nova era de inovação e estratégias no setor.

Gostou? Quer saber mais dicas de como implantar um processo comercial de sucesso em sua indústria? Então, aproveite e leia nosso próximo post sobre a importância de um CRM para seu departamento de vendas.

[e-book] Indústria 4.0 e os desafios do setor | Baixar Gratuitamente | Agência Labra

Como as indústrias estão faturando em plena pandemia?

Como as indústrias estão faturando em plena pandemia?

Os impactos da atual pandemia ainda surtem efeitos em muitas indústrias brasileiras. No entanto, levantamentos recentes sobre o setor, já apontam uma retomada de diversas áreas, ainda que um pouco tímida: 7% a mais do que em relação a abril.

Em tempos de incertezas como atualmente, especialistas veem esse crescimento de forma otimista e acreditam que ele será gradativo até o final do ano, mas destacam o papel fundamental das empresas buscarem meios de incentivar o consumo no mercado.

E é justamente sobre isso que vamos abordar ao longo desse post. Afinal, como é possível uma indústria aumentar seu faturamento em plena pandemia? Leia até o final e confira as dicas!

Exemplos de indústrias que estão faturando na pandemia

Ao mesmo tempo em que a pandemia afeta a linha de produção de muitas indústrias, especialmente por conta das decisões de isolamento social, outras parecem ter enxergado novas oportunidades no período de crise.

E não são poucos os exemplos! Diversos setores se adaptaram ou mesmo se reinventaram para “surfar” em novas tendências ou necessidades que surgiram nos últimos meses. Esse fenômeno é chamado de “reconversão industrial” e se fez presente em diferentes áreas da indústria brasileira.

Para exemplificar melhor, uma recente entrevista realizada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) abordou diversos especialistas e empresários do setor produtivo e destacou alguns casos de sucesso em plena pandemia.

A Kidy, por exemplo, fábrica especializada na confecção de calçados infantis, readequou todo o seu parque fabril em Birigui (SP) para começar a distribuir máscaras de proteção. A mesma estratégia foi seguida pela DeMillus, indústria têxtil carioca que, além de máscaras, investiu na produção de jalecos de TNT e contratou mais de 200 pessoas durante a pandemia para ajudar na demanda.

Além desses casos, diversas outras indústrias que recorreram à reconversão industrial durante a crise podem ser destacadas aqui, como as montadoras Mercedes e Volkswagen que dedicaram parte de seus fábricas a produção de respiradores, assim como a Thermoval, fabricante de válvulas, que também focou no fornecimento de peças específicas para esse tipo de equipamento hospitalar.

Fabricantes de cosméticos, indústrias farmacêuticas e até de alimentos também encontraram alternativas viáveis de faturamento em plena pandemia, como a produção de álcool em gel, produtos de limpeza, suplementos alimentares, medicamentos, etc.

[e-book] As melhores estratégias para aumentar as vendas na indústria | Baixar grátis | Agência Labra

É em meio a crises, altos e baixos do mercado que muitas empresas se reinventam, ou realizam pequenas inovações que fazem toda a diferença.

Após passar esta pandemia, muita coisa não voltará mais a ser como era antes, principalmente a comunicação pelos meios digitais, e os processos de vendas.

Mesmo em meio a esta crise, tivemos alguns clientes da LABRA, que, por já estarem trabalhando a anos com o Marketing Digital trazendo novos negócios ao time comercial, não sofreram impacto nas suas vendas, pelo contrário, investiram ainda mais e estão VENDENDO MAIS e batendo meta de vendas agora em meio à pandemia.

Veja abaixo um gráfico referente ao período de janeiro a junho de 2020, mostrando o crescimento em vendas de um cliente de uma indústria de equipamentos que investe em Marketing Digital:

Gráfico Indústria (Janeiro a junho 2020)

 

Mudanças de consumo também direcionam o faturamento na pandemia

Nem só a reconversão industrial tem sido fator para o faturamento na pandemia. Naturalmente, alguns setores tiveram suas demandas aumentadas, muito por conta da mudança de hábitos e de consumos no mercado.

O e-commerce, por exemplo, teve um crescimento exponencial desde o início do isolamento social, chegando a superar 81% de vendas a mais do que o mesmo período do ano passado.

Bom para algumas indústrias, como a de eletroeletrônicos, brinquedos, livros e de utensílios domésticos. Para se ter uma ideia, a busca por “kit de jardinagem” cresceu mais de 180% entre os brasileiros na internet, enquanto especialistas em games comemoram o aumento de 30% na venda de jogos para crianças e adultos no país.

Isso não caracteriza apenas tendências temporárias por conta de uma crise sem precedentes, mas aponta para uma mudança de hábitos e consumos da população como um todo. E agora, cabe às indústrias e empresas se adaptarem a esse “novo normal” e buscarem alternativas que atendam às necessidades do pós-pandemia.

Marketing industrial: uma estratégia necessária no pós-pandemia

Não importa qual seja o setor de sua empresa, certamente ele não será mais o mesmo nos pós-pandemia. Como destacamos acima, tanto a reconversão industrial, como as mudanças naturais de costumes e hábitos do mercado ditarão o futuro da indústria no Brasil.

Por isso, o uso do Marketing Industrial como estratégia de reposicionamento no pós-pandemia é assunto em destaque hoje em dia e, sem dúvidas, permitirá que as empresas entendam melhor as novas necessidades dos clientes e, principalmente, consigam oferecer soluções mais focadas em suas dores.

E como investir em Marketing Industrial e garantir o faturamento na pandemia? Veja algumas dicas abaixo!

Participação online

Com a nova “explosão” do e-commerce e de busca por soluções online, simplesmente ter um site apresentável e organizado de sua indústria não é mais suficiente. Ele precisa ser estratégico, estar bem ranqueado nas pesquisas do Google, ser atraente e, principalmente, sanar as dores que a pessoa precisa. Seu site cumpre todo esse papel?

Conteúdos relevantes

O papel do Marketing Industrial não é apenas vender, mas também de informar, cativar, criar relações, tornar referência e aproximar possíveis parceiros e clientes de sua marca. Para isso, a criação de conteúdos de qualidade, realmente relevantes e com foco técnico e especialista nos assuntos é estratégia exclusiva desse modelo.

Comunicação estratégica

Por fim, outro destaque do Marketing Industrial é a comunicação direta e especializada com o público, diferentemente do marketing convencional que aborda estratégias de uma forma mais ampla e generalizada.

O pós-pandemia na indústria vai requerer, como nunca, um atendimento personalizado, técnico e que dialogue com especialistas. Para isso, o seu site precisa estar apto a atender tais exigências e a solucionar, com eficiência, todas essas dores.

Invista em marketing digital

Como já havíamos comentado antes e em outros conteúdos aqui no blog, investir em marketing digital é de suma importância, principalmente em tempos de crise, onde as indústrias necessitam estarem presentes nos canais digitais. Podemos citar mais um exemplo para você de outro cliente da LABRA que investe há anos em marketing digital. No gráfico a seguir, irá ver que essa empresa vem crescendo em vendas mesmo durante a pandemia. gráficos industrias

Em resumo, os exemplos de indústrias que estão faturando durante a pandemia não se resumem apenas a oportunidades enxergadas em tempos de crise. Mas também a uma transformação geral das estratégias e decisões que as empresas precisarão tomar para se adaptarem às novas tendências e costumes e, indiscutivelmente, o Marketing Industrial tem papel fundamental nessa nova era de consumo.

E sua empresa já está preparada para esses novos tempos? Pensando nisso, a Labra preparou um guia completo sobre o uso do Marketing Industrial como forma de vender e faturar mais nesses dias. Baixe o e-book gratuitamente e aplique as dicas!

[e-book] Marketing Industrial: como gerar novas vendas | Baixar grátis | Agência Labra

A importância do CRM para o departamento de vendas

A importância do CRM para o departamento de vendas

A tecnologia e a integração de novos sistemas são elementos que podem auxiliar na criação de ações estratégicas e na aplicação de diferenciais competitivos. No entanto, isso deve ser feito por meio da coleta de informações da clientela e pesquisas mercadológicas. Nesse sentido, uma ótima alternativa é adotar um sistema CRM, que tem como objetivo a gestão do relacionamento com o cliente. 

Dessa forma, é possível analisar o engajamento do negócio, o perfil dos consumidores, o volume de interações e dados qualitativos. 

Além disso, a aplicação do CRM em qualquer modelo de negócio permite que as empresas estudem melhor as necessidades e interesses de um cliente ou potencial cliente, facilitando o processo de relacionamento e, principalmente, a assertividade das ações de vendas. 

Pensando nisso, preparamos este artigo com o objetivo de mostrar a você, o que é um sistema CRM e como ele pode ser benéfico para o seu negócio. Agora vamos te mostrar 4 vantagens dessa ferramenta para o seu departamento de vendas. Confira!

Mas, afinal, o que é o sistema CRM?

O sistema CRM (Customer Relationship Management) é um software de gestão que tem como objetivo manter um relacionamento próximo e efetivo com o consumidor, de forma a conseguir fidelizar e transformar os clientes em disseminadores da marca. 

Em resumo, o CRM é uma estratégia de negócios em que o foco é conhecer profundamente os clientes para identificar as suas principais necessidades e surpreendê-los positivamente, oferecendo produtos e serviços que atinjam as expectativas.  

Portanto, o CRM envolve uma série de características e estratégias de relacionamento. Vamos mencionar as principais: 

  • Centralizar o cadastro dos clientes;
  • Realizar a balança digital comercial;
  • Lembrar de entrar em contato com os consumidores;
  • Identificar as melhores oportunidades de negócio;
  • Conhecer o cliente profundamente, bem como suas preferências de compra; 
  • Analisar os melhores canais de comunicação;
  • Segmentar o público-alvo;
  • Padronizar o atendimento e suporte.

Como você pode perceber, a função do CRM é auxiliar as empresas a conhecerem os seus clientes, manter um relacionamento próximo e atender às suas necessidades. Contudo, as vantagens não param por aí. Veja a seguir! 

Onde você está errando no  processo de vendas da sua indústria? Descubra agora com nosso CHECKLIST EXCLUSIVO! | Agência Labra

Por que investir em um CRM? 

O mercado competitivo exige que as práticas e estratégias estejam voltadas para a satisfação dos clientes, não é mesmo? Pois bem, essa é a primeira razão para investir em um sistema CRM. 

Dito isto, é importante entender mais a fundo como o sistema CRM pode ser benéfico para o seu time de vendas. Acompanhe: 

1. Dados em um único espaço

A primeira razão para investir em um software CRM é que ele permite centralizar dados e informações dos clientes em um único espaço. O sistema interno, por exemplo, auxilia (e muito) o desenvolvimento de estratégias de marketing e vendas

Em resumo, o armazenamento de informações contribui para que a empresa mantenha contato constante com o consumidor, para que ela se mostre sempre presente na vida do cliente e, principalmente, em seu processo de compra. Isso vale até para áreas específicas, como detector de gás.

Além disso, com a integração desses dados, a companhia está pronta para atender o cliente e tratá-lo com exclusividade, de modo que ele se sinta valorizado e especial. Vale destacar que essa é a melhor opção para construir um bom relacionamento entre as partes.

2. Otimização do processo de vendas

Não restam dúvidas: a ferramenta também contribui significativamente com a automatização do processo de vendas. Afinal, o profissional já tem em mente todas as informações necessárias, oferecendo assim, um atendimento personalizado. 

Dessa forma, é possível controlar todas as etapas presentes no processo de vendas, de modo que tudo ocorra como planejado. Aliás, vale mencionar que o CRM torna o atendimento mais prático, rápido e eficiente. 

3. Tomada de decisões 

Com a utilização da ferramenta, o responsável pelo departamento comercial consegue tomar decisões com mais facilidade, uma vez que as informações coletadas auxiliam na criação de estratégias e ações de vendas. 

Nesse sentido, as informações são aplicadas com o intuito de alinhar todas as equipes em um único objetivo, permitindo que a ação seja feita de forma certeira e eliminando dados hipotéticos e, consequentemente, achismos.  

Portanto, o interesse do cliente durante o processo de compras depende exclusivamente da tomada de decisões. É isso que vai determinar quantas conversas serão necessárias para que o cliente concretize a compra, mesmo produtos limitados, como carrinho plataforma.

Além do mais, o sistema CRM aponta quando o colaborador deve avançar uma etapa de venda e quando está definitivamente pronto para efetuá-la. Ou seja, o software é extremamente útil para identificar o melhor momento de agir. 

4. Bom relacionamento

Por fim, de fato o CRM contribui, principalmente, com a construção de um bom relacionamento entre cliente e marca. Afinal, quanto mais a empresa converse com o público, maiores são as chances de gerar uma relação contínua.

Portanto, o CRM é, sem dúvida, um grande aliado para as empresas, principalmente no segmento de marketing e vendas, visto que atua diretamente na gestão de relacionamento e resultados.  

Para conferir mais conteúdos relacionados a marketing e vendas, acesse o nosso blog